sábado, 5 de agosto de 2017

Amor de Salvação


Só o amor nos cura de nós mesmos.
Só o amor é capaz de nos curas das nossas paranoias, medos, expectativas frustradas, e desesperança.
Só o amor é capaz de nos pegar em cheio num dia cinza e mudar o tom do céu de uma cidade inteira.
Há algum tempo atrás eu dei amor. Amor sem conta. Sem medo.
Daqueles que preenche o coração, abraça apertado, dá cheiro, dá ombro, se dá por inteiro.
Eu dei amor, porque no meu peito estava sobrando, e quanto mais eu dava, mais felicidade eu encontrava.
Eu dei amor, e do amor que damos apenas o amor herdamos.
E então, hoje, tanto tempo depois, numa quinta-feira nublada, eis que o amor me encontrou de novo.
Quando eu tinha esquecido do gosto dele.
Quando eu tinha me esquecido da sensação que é ter toda essa alegria no peito, o amor que preenche o todo.
Ele veio em duas horas de uma ligação as 10 da manhã.
Ele veio de uma mensagem de alguem que deixou a dor dela de lado pra cuidar da minha, e me fez deixar a minha de lado pra cuidar da dela.
Ele veio em forma de memória. E me veio na sua forma mais pura e simples.
O Amor veio dançando na minha frente e me disse entre risos que não adianta fugir, ele está sempre a espreita.                
Eu dei amor sem conta.
Ele me encontrou quando eu mais precisava dele.
Quando eu estava me esquecendo que o amor em suas variadas formas sempre vale a pena.
“Do amor que damos, só o amor herdamos”.
 “Só o amor é capaz de nos curar de nós mesmos”

Obrigada Amor, por nunca se encher de mim, mas sempre permitir que eu me encha de você.