segunda-feira, 21 de julho de 2008

Love's just a game.


Citando The magic numbers : "O amor é só um jogo quebrado como sempre. O amor é só uma mentira, acontece o tempo todo."

Esse post talvez contradiga tudo o que já foi escrito nesse blog, e tudo que ainda possa a ser escrito, mas não poderia deixar de falar sobre isso.
Afinal, não seria o amor apenas mais um jogo.
As pessoas jogam entre si o tempo todo. Algumas pelo puro prazer da conquista, e outras pelo medo da solidão.
Solidão está que na minha opinião é vista de uma forma errada e egocentrica.
O que te faz se interessar por alguem?

A única coisa que eu tenho visto, é um jogo de quem conquista mais.
Homens e mulheres, que cansaram de se magoar, e agora decidiram simplesmente "pegar e não se apegar"
Isso evita certas dores emocionais, mas que outros tipos de dores isso traz?

Eu sou uma mulher que anda com uma caixa de interrogações na mão, no momento.
Entender o sexo oposto sempre foi tarefa dificil, mas entender as pessoas em geral sem distinção de sexo e idade, é uma tarefa que vem se tornando quase impossivel.
As pessoas se escondem, falam algo e agem de forma inversa.
E tudo isso pelo instinto de auto-preservação.
Pelo amor de Deus, Libera o Mosh e seja feliz.
Arrisquem-se a viver algo que está além do seu controle.
Aprendam a iludir-se menos e viver mais.
E eu falo isso em qualquer tipo de relacionamento, sejam eles familiares, amigaveis ou amorosos.
Entreguem-se a vida.
Entreguem-se as surpresas, ao que as pessoas podem trazer pra você, e principalmente ao que você pode trazer para as pessoas.
Se nós paramos de construir muros, e passar a constuir pontes, aprenderemos que a única pessoa que nos impões solidão, somos nós mesmos.

Vamos viver a vida com prazer, com alegria, e com liberdade para errar, cair e levantar-se mais forte.
O controle está em você. permita-se sair do controle por algus minutos e deixar a vida te levar...

Uma semana maravilhoa, e cheia de deliciosas surpresas para todos.



9 comentários:

⋆     T h aa disse...

Que lindo o texto .
É exatamente como eu penso, as pessoas não sabem mais como pensar, como agir nesse mundo louco.

Pessoa são tratadas como objetos nessa vida. Que em muitas vezes para alguns não tem fundamento algum. Isso é triste.

Como sempre, aqui ótimo!
Adoro mesmo te visitar flor ^^

Beijo grande :*

Thássi Deorce . disse...

Nossa, que lindo o seu texto!
Adoreei o seu blog, tá adicionado aqui. ^^


beijão.

Giovanna. disse...

"Vamos nos entregar a vida sem medo, estamos aqui para cair e levantar, só assim vamos aprender o que é viver", adorei o texto



http://sorrisosdeplasticos.blogspot.com/

dani cabrera disse...

Oi Rê!

Concordo em gênero, em número e até no grau que você colocou teu pensamento. Na verdade, hoje em dia, isso parece ser moda: usar máscara agora não é mais coisa só de carnaval. Tudo bem, eu entendo que também tem a cada dia mais gente ferida por conta de relacionamentos mal conduzidos. Mas o triste é amargar-se, aluar-se - como o moço da música Girassol, cantada por Djavan e Cássia - é trincar-se que nem madeira na chuva. Fechar-se na ostra. O mais triste ainda é quando os livres ficam de mãos atadas diante do amor por um prisioneiro de si (ou de qualquer um). Os padrões da sociedade - ai que coisa chata - as caixinhas que as pessoas e tradições tentam nos colocar todos os dias, é revoltante. Essa coisa de querer transformar a nossa vida no que querem... No fim, uns entram no embalo e morrem opacos, infelizes. E os que morrem felizes são os mais corajosos, que mais se ferem também, mas que não tem medo de correr uma maratona inteira pela possibilidade de ser feliz!

Um beijo imenso pra você!
Muito obrigada pelo comentário, fico muito feliz (de verdade! :D) por ter gostado do meu espacinho, e te digo: É muito bem-vinda!

Até mais! : )

O Sábio Niestévisky disse...

Gostei, bem legal o texo, aliás, blog todo.

laura disse...

Sempre me entreguei demais e, quando tudo desabava, sofria demais. Mas no meio de tudo isso momentos inesquecíveis. Não troco e não me arrependo de nada. Nunca pensei em me proteger mais, não me apegar tanto.

Me apego, me entrego e só assim consigo que se apeguem e se entreguem a mim. Não acredito em muralhas de defesa. Isso impede a felicidade plena.Eu quero mais e mais e mais.

Se não der certo e eu tiver que chegar ao fundo do poço de tanto chorar, vou sofrer. Mas sabe pq? Pq acabou aquilo que vivi em plenitude - fui feliz.

Thaís Abdala (: disse...

Lindo o blog (:
E o texto mais ainda :D

Posso te linkar ?

DuDu Magalhães disse...

hum, legal seus pensamentos.

Pra mim, o medo de amar tira o desejo de realmente viver...

abrass

Um pequeno equivoco disse...

Precisamos lembr\r disso, principalmente qdo quebramos a cara e nao vemos saida.

O problema ´´e q com o passar dos anos criamos um muro de proteç~~ao para n~~ao sermos magoados.

http://www.continuesorrindo.blogspot.com/