sábado, 9 de outubro de 2010

Slow dancing in a bunrning room.


No meio da noite, no meio da rua, num abraço apertado eu disse pela primeira vez em anos, o que nunca tinha tido coragem nem vontade de falar pra ninguém. Algo que eu sempre agradeci aos que me disseram mas nunca retribui, e algo que você mesmo já tinha me dito mas eu nunca havia acreditado muito.

- Eu te amo de verdade.
Pra mim essa frase era ilusória, nunca acreditei que as pessoas sabiam o que significava quando estavam dizendo, nunca acreditei nos "eu te amo" que eu já escutei.

Mas hoje eu vejo nós. E tanta coisa que ja passamos juntos. Eu ja te adorei, ja te odiei, ja te irritei, e ja me irritei com você, mas no decorrer do dia é a unica pessoa que consegue alterar meu humor, que consegue me tirar sorriso e animo nos dias de crise. E é o unico que me faz voltar e querer ficar quando todos os outros só me fazem sair correndo.

É como se você tivesse encontrado a minha formula mágica, a linha tênue entre me fazer vibrar, e saltar de alegria, ao invés de planejar uma fuga rapida por medo do que vem depois.

Porque com você eu não reconheço o medo, ele não existe mais. Já doeu tudo que havia de doer com você, já experimentamos o gosto mais amargo. Agora o que bate a porta ao te ver é o doce. A vontade de sair no domingo a tarde e sentir o vento nos cabelos, o sol na pele a música da gente nos ouvidos.

É só o que quero de você agora, seus braços em volta de mim, mesmo que não seja nada além disso. Um abraço sem jeito no final do dia, com gosto de quinta-feira.
Quero ouvir suas histórias e te contar as minhas, saber que tem alguém no mundo que me faz acordar sorrindo e cantando Mr.Brightside mesmo que lá fora o mundo esteja explodindo.
E aguentar sem me desesperar todo tipo de panaca que chega até mim, só para te contar e rir disso depois.

E já não ligo para o que vem depois, ou se é que vem algo. Com você só penso no agora. No já. E se amanhã não for nada disso, eu vou te perdoar de novo, e pedir seu colo de novo, e te doar o meu de novo.

Você conquistou um tipo de amor em mim totalmente despreocupado, e enfim tenho paz. Paz no coração sabendo que não há nada a ser esperado, muito menos desesperado. Nesse mundo de gente que não sabe o que quer, eu só quero exatamente isso que a gente tem, sem rotular, sem pensar, só sentir.

6 comentários:

AninhaGR disse...

Uauuuuuuu!!! Flor, que bela declaração!!! Quantas frases lindas; suaves, porém profundas como teus sentimentos. Já falei que adoro te ler? O quanto isso me faz bem?
Beijos na alma...

Thamires disse...

Ah que texto lindo!! *-*
Muito doce.
É incrível mesmo como do nada alguém aparece e muda tudo o que nós pensamos e já sentimos um dia.
É como um sol na tempestade...

Você como sempre se superando em tantas palavras meigas!

Beijos Rê! :*

R;* disse...

Vejo que estamos em estágios muito parecidos. Quando resolvi tentar mais uma vez, disse a mim mesma que seria diferente, sem essa preocupação por uma certeza..
só queria que fosse a gente, do nosso jeito, e está sendo!
Espero que só aconteça o melhor com você sempre, e como você mesma disse: já doeu tudo que tinha pra doer.. [essa foi a frase em que mais me encontrei]
sem rótulos é melhor, mais leve, mais íntimo!

PS. sempre anseio por seus comentários, é muito bom saber que existe uma pessoa que entende a sua situação por viver uma bem parecida! E pode ter certeza que sempre me encontro nos seus textos..
Beeijo ;*

brunna disse...

Adorei, *-*

aivilana disse...

Ah, essa coisa do amor é sensacional. De não querer perder a pessoa, distanciar ou até mesmo de ficar um tempo sem. :)

Muito bom seu blog!

beijos

Clube do Filme disse...

Achei lindo o texto.. a foto também.. ótimo post!!