terça-feira, 31 de agosto de 2010

Descaminhos


Acordei às 7:00 horas da manhã, coloquei meu fone de ouvido naquela música que me agita os instintos e sai para olhar o mundo. Com tanta vida lá fora, como a gente pode se entristecer?
Com tantas histórias sendo escritas a todo momento, com tantos laços, com tantos caminhos...
E tantos descaminhos também, por que não? Eles existem e eu estou em um deles agora.
Penso comigo enquanto ouço Julie London: "Que esse descaminho seja sinal de que estou mudando de direção." E estou.
E meu cachorro me olha com devoção, acho que até ele sente que eu acordei decidida e deve orgulhar-se de mim.
Alguem me liga avisando que eu sou forte. Outro me diz que pareço mais equilibrada. E ainda há outro que jura que estou com um brilho diferente.
E no meio de tantos: "O que aconteceu com você, mulher?". Eu respondo convicta: "Hoje eu acordei gostando mais de mim".
Sabe quando você termina de montar um quebra-cabeça? A sensação que é encaixar a ultima peça, o prazer, a excitação, a alegria?
Depois de passar anos tentando encontrar a ultima peça, e até mesmo tentando encaixar peças erradas eu aceitei que para achar as peças é preciso primeiramente desvendar o enigma do que realmente nos falta, ou seja, aprender a lição que o fará passar de fase.
Eu achei que o que me faltava era ele. Quando na verdade, ele era apenas o portador de uma dica importante.
A paixão nos cega, e esquecemos que só nós gostarmos não é suficiente. Há algumas pessoas que não são para ficar, mesmo que a gente queira muito isso, é preciso aceitar e libertar. Do contrário só vamos nos apegar a sentimentos vazios.
Ele cumpriu seu papel. E agora eu o libertei, e mais do que isso: Eu me libertei. E posso seguir em paz comigo mesma.
É dai que vem toda calma. Sei bem que é melhor estar só e inteira, do que a dois pela metade.
E preciso confessar, sem medo, sem culpa e sem vergonha que nesse momento estou melhor sozinha. Sou mais equilibrada, mais focada, e de certa forma até mais radiante.
Hoje, abri meus olhos e vi o horizonte de possibiliades que se estende a minha frente, e que precisamos ser sinceros para não sermos mediocres. Antes de querer ser o mundo de alguém, é necessário entender a si mesmo.
E apegar-se a relacionamentos frustrados, a falsas esperanças de que pode dar certo, é enclausurar-se em um unico comodo sem portas e janelas, quando na verdade há um mundo fora do quarto, há um mundo fora da casa, e há muita luz nesse mundo.
Por que você está ai sozinha, machucando a si mesma com tantas duvidas, com tando apego ao que não é para ser seu, quando na verdade deveria estar linda e perfumada deixando que os outros vejam que lindo sorriso tens?
Pode parecer clichê, mas praticar o desapego é um santo remédio.
A culpa não foi dele, nem minha. Tentamos. Cada um com seu jeito, e respeitando nossos proprios limites. Não devemos exigir mais de nosos corpo,ou de nossos corações. Cada um sabe a dor que carrega em seu peito, e o quanto pode apostar. E principalmente, é necessário entender que pessoas não são brinquedos com indicações na caixa. Nunca se sabe o que o outro passou para tornar-se o que é. Assim com o outro não sabe o que te fez assim.
Cuide de si mesmo, ame o quanto puder, tente tudo sempre, mas tenha a delicadeza de saber quando é hora e parar o barco e muda-lo de direção.

Aviso aos navegantes, com a direção do vento mudando o mar está propicio para percorrer longas distâncias, e sem previsão de tempestade. Levantar ancoras marujos e deixar que o vento nos leve.
[ouvindo "Across the Universe" - Beatles ]

3 comentários:

R;* disse...

você sempre tem o que eu preciso como pode??
queria tanto passar de fase, mas tá tão difícil. não consigo me libertar, eu tento tanto, Você não pode imaginar, mas existe algo que me puxa cada vez que eu tento sair. No meu cômodo, tem uma fresta e por ela eu vejo como eu seria bem mais feliz lá fora. Mas não consigo deixa-lo.
A culpa não é minha, nem dele...
Não sei mais o que tenho que fazer, só sei que em primeiro lugar eu preciso querer, e não tenho tanta certeza se não o quero mais na minha vida!
Suas palavras sempre são a salvação do meu dia, você sempre post no dia certo *--* o dia que mais preciso!

Deixei um selo pra vc no meu blog!
beeijo ;*
Obriigadaaaa por TUDO!

Natacha Vieira disse...

Condordo plenamente quando diz que o desapego é um santo remédio. Primeiro nos amamos, e isso muda tudo. Lindo texto, e admiravel sua posição, me orgulho de você!

Adalberto Mota disse...

Que texto bonito! Muito bem pensado, facil de ler e de entender, além de toca nas pessoas! Parabéns!